Páginas

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Pé na bunda, quem nunca levou? Quem nunca mandou?

Sabe aquele amigo que passou meses e meses chorando no seu ombro porque levou um pé na bunda? (Ou lembra de quando quem fez isso em ombro alheio foi você? Então.) Um estudo da Universidade de Rutgers apareceu para explicar por que é tão difícil para algumas pessoas superar o fim de um relacionamento. Em testes com homens e mulheres que estavam “curtindo” uma fossa (foram rejeitados, mas continuavam apaixonados), olhar para fotos dos ex ativou regiões do cérebro associadas ao controle das emoções, ao apego (até aí, tudo bem), à abstinência e até à dor física (!). Segundo os pesquisadores, existem grandes semelhanças entre o que sentem pessoas que levaram um fora do amado e viciados em cocaína em processo de desintoxicação. “O amor romântico é um vício”, disse a antropologista Helen E. Fisher, líder da pesquisa. “É um vício maravilhoso quando as coisas estão indo bem, mas um vício tenebroso quando tudo dá errado”. Isso explica porque certas pessoas são capazes de atitudes extremas (como perseguir e até ferir o ex-parceiro) após levarem o temido pé na bunda. Mas também há uma notícia boa nessa coisa toda: o estudo confirmou que o tempo cura mesmo as feridas – quanto maior o período desde o término do relacionamento, menor é a atividade registrada nesses cantinhos perigosos do cérebro.
Fonte: Super

Pois é... Me lembrei que teve uma época em que criei um blog, com uma amiga, para contar as experiências de pé na bunda que eu tive na época e ela também... O que começou como um desabafo despretencioso virou um blog com várias visitas e colaboração de leitores(as) desabafando seus foras, se identificando com nossos relatos, com os relatos de outros leitores e nossas dores. Muita gente já levou bota e cada uma age de maneira diferente da outra... O mais curioso é que recebíamos relatos de quem dava o pé na bunda também, se justificando... A partir daí começou a ficar mais fácil tentar entender os dois lados da moeda.

Quando há um grande envolvimento, não é fácil levar um fora... Não é fácil dar um fora também! Mas, se um dos dois não está mais afim, independente do motivo, o melhor é a separação... E nessas sempre tem um que vai na frente e o outro atrás prepara a bota!

O que vale é lembrar que, se você um dia esteve na frente e levou um pé na bunda, no outro dia pode estar atrás e mandar um... E vice-versa!

Converse, seja sincera(o), procure sempre expor o que sente e se colocar no lugar da outra pessoa - escute o que ela tem para falar. De resto, levanta, enxugue as lágrimas, sacode a poeira e dá a volta por cima!!! É fácil? Não! Dói? Sim... Mas o tempo é e sempre será o melhor remédio!

Veja aqui um pé na bunda que virou obra de arte e fez sucesso...

2 comentários:

ppbrasil disse...

Eu vi essa exposição do famoso "Pé na Bunda" rsrsrsrs! Muito boa por sinal...

Ana Paula disse...

pé na bunda dói mas a gente aprende tanto T_T~
Mas ainda n sei o q é pior...dar ou tomar um...
Ahh fiquei com vtde de ver a exposição e agora????